Pular para o conteúdo principal

Eventos

AGENDA DE EVENTOS

- Em breve novos eventos!



EVENTOS JÁ REALIZADOS

III ENCONTRO DE ESCOLA AUSTRÍACA DE BRASÍLIA
11 e 12 de Abril de 2014

Pelo terceiro ano consecutivo realizamos em Brasília o Encontro de Escola Austríaca. Neste ano procuramos abordar temas ligados a teoria monetária, ciclos econômicos e mercado financeiro. Por conta do processo eleitoral de outubro, não poderíamos deixar de analisar a conjuntura brasileira numa instigante mesa-redonda ao final do evento.

Em 2014 o III Encontro de Escola Austríaca de Brasília é realizado pelo recém-lançado Instituto Carl Menger, em parceria com o Instituto Mises Brasil.


IV Seminário Práxis*
A crise macroeconômica contemporânea e o papel dos metais preciosos (por Bruno Guimarães)
Local: DX Investimentos (Centro Empresarial Brasil 21 - SHS Quadra 6, Conjunto A | Sala 312 - Brasília)
Data: 10 de dezembro de 2013, terça-feira
Hora: 19h30 (previsão de 1h de exposição e 30 min para dúvidas e debate)

O tema: Será apresentada a uma visão sobre a crise econômica vigente pós 2007/08 a luz da Escola Austríaca. Um debate substancial entende que a dinâmica vigente é insustentável, anunciando a possibilidade de uma crise mais severa adiante. Nomes importantes da EA e de outras correntes de pensamento (Peter Schiff, Nassim Taleb, Marc Faber, Jim Rogers, James Rickards, Michael Maloney e Eric Sprott) descrevem com precisão e propõem estratégias melhor se defender.


III Seminário Práxis*
Como Investir em Imóveis: metodologia e práticas para a busca e seleção de boas oportunidades (por Rogério Vargens)
 Local: DX Investimentos (Centro Empresarial Brasil 21 - SHS Quadra 6, Conjunto A | Sala 312 - Brasília)
Data: 12 de novembro de 2013, terça-feira
Hora: 19h30 (previsão de 1h de exposição e 30 min para dúvidas e debate)

O tema: Será apresentada uma metodologia de avaliação de investimentos para a aquisição ou construção de imóveis, de fácil entendimento e utilização por qualquer pessoa. O método parte da premissa da subjetividade do valor e analisa os fundamentos do valor de uso e das expectativas de valorização do preço dos imóveis. É de fácil compreensão para pessoas que não tem estudo ou formação prévia nesta área do conhecimento e pode ser aplicado a partir de informações obtidas com pesquisa dos preços de mercado, publicamente acessíveis a qualquer um. Será de grande ajuda para que você possa buscar, avaliar e decidir por boas opções de imóveis, adequadas à suas necessidades e recursos, além de conhecer novas formas de investir neste setor.


II Seminário Práxis*
Moeda, Inflação e seus impactos na Bolsa de Valores (por Tullio Bertini)
Local: DX Investimentos (Centro Empresarial Brasil 21 - SHS Quadra 6, Conjunto A | Sala 312 - Brasília)
Data: 23 de Outubro de 2013, quarta-feira
Hora: 19h30 (Previsão de 1h de apresentação e 30 min. de debates)

O tema: Compreender a função do dinheiro na economia é de fundamental importância para o correto entendimento dos ciclos econômicos. A presente palestra tem por objetivo apresentar a importância da moeda e os impactos do constante acréscimo em suas quantidades sobre a economia e a bolsa de valores.


I Seminário Práxis*
Ciclos Econômicos: uma abordagem descomplicada (por Daniel Marchi)
Local: DX Investimentos (Centro Empresarial Brasil 21 - SHS Quadra 6, Conjunto A | Sala 312 - Brasília)
Data: 10 de Outubro de 2013, quinta-feira
Hora: 19h30 (Previsão de 1h de apresentação e 30 min. de debates)

O tema: Muitos economistas e pesquisadores tem enfrentado o desafio de entender como são gerados e como transcorrem os ciclos econômicos. A presente palestra tem por objetivo apresentar a dinâmica dos ciclos econômicos de uma forma acessível e descomplicada, abordando principalmente a influência do crédito sobre a estrutura de capital da economia.


* Os Seminários Práxis são encontros periódicos promovidos pelo Instituto Carl Menger. Procuram trazer, de forma acessível ao público, questões econômicas contemporâneas e relevantes. As apresentações são seguidas de debates e trocas de idéias.

Postagens mais visitadas deste blog

Função social da empresa, da propriedade e do contrato: O que é isso?

por José Carlos Zanforlin
Julgar é uma forma de ação humana
Algumas teorias são tão fabulosas em simplicidade e abrangência que perduram no tempo e influenciam diversas áreas de nossa manifestação intelectual. A teoria da ação humana, de Ludwig von Mises, que foi base de seu tratado de economia, é uma delas. Em suas palavras, “Estas observações preliminares se faziam necessárias a fim de explicar por que este tratado coloca os problemas econômicos no vasto campo de uma teoria geral da ação humana. ”[1]. Muito antes de Mises, é emblemático que João, em seu Evangelho, tenha dito que “No princípio era o verbo”, para explicar o início de tudo. Sabemos todos nós que verbo retrata ação; logo, o princípio criador de tudo foi/é a ação, provenha de onde provier.

Biografia: Carl Menger

Homenagem a Carl Menger, nascido a 23 de fevereiro de 1840

por Jim Powell

Carl Menger tem a dupla distinção de ser o fundador da economia austríaca e um co-fundador da revolução da utilidade marginal. Menger trabalhou separado de William Jevons e Leons Walras, e chegou a conclusões semelhantes, mas por um método diferente. Ao contrário de Jevons, Menger não acreditava que bens proporcionavam “utilidades” ou unidades de utilidade. Em vez disso, escreveu que as mercadorias são importantes, pois servem a usos diversos, cujas importâncias se diferem. Por exemplo, os primeiros baldes de água são utilizados para satisfazer as mais importantes práticas, e os baldes seguintes são usados em fins cada vez menos importantes.

Governo, cidadão e voto: como o voto disfarça os privilégios

por José Carlos Zanforlin
O SCRIPT
Antes de tudo, esclareça-se que cidadão, na estrutura política do Estado, é o indivíduo que vota e pode ser votado; assim, por causa do tema do artigo, será utilizado esse termo quando referido aos que votam, embora “indivíduo”, que também se submete ao Estado, seja conceito muito mais abrangente e verdadeiramente ontológico.
A Constituição brasileira em vigor, logo no artigo primeiro, contém três informações: (i) o Brasil é um estado federado, e não unitário, (ii) seu regime de governo é democrático, e não autoritário, e (iii) o poder provém do povo, mas é exercido por meio de representantes ou diretamente em específicas situações[1]. Esses dados são obtidos diretamente do texto constitucional, e expressam noção de valor do grupo dominante que elaborou a Constituição. Entretanto, é possível obter-se outras impressões sobre democracia, aqui; aqui; aqui e aqui.