29 de maio de 2015

A verdade sobre o salário mínimo

Quais os principais determinantes dos salários numa economia? Quais as consequências das leis de salário mínimo? Saiba isso e muito mais neste vídeo.


26 de maio de 2015

Quando o Internet Explorer dominava o mundo

por Jeffrey Tucker

(traduzido por Flávio Ghetti)

A Microsoft anunciou em abril de 2015 que estava finalmente “guardando no armário” o Internet Explorer (IE), terminando oficialmente suas duas décadas de reinado como rei e, posteriormente, como bobo da corte dos navegadores web. O foco principal da cobertura da mídia tem sido em como o IE foi superado por Firefox, Safari e Chrome – para não mencionar os aplicativos para dispositivos móveis que estão rapidamente ultrapassando os programas tradicionais de computador como o nicho de navegação na internet. Mas, era uma vez, o IE dominou a rede mundial de computadores.

Nos sites que administrei pude ver como o IE foi de 95% do tráfego para 20%, uma queda espetacular e bem merecida, que durou vinte anos completos. A Microsoft nunca foi capaz de consertar seus intermináveis problemas de segurança. Cada nova versão, da primeira à décima, parecia consertar alguma questão da versão anterior enquanto introduzia novos problemas.

22 de maio de 2015

A verdade sobre consumo e poupança

Os contínuos incentivos ao consumo são benéficos para a economia? Como poupança e investimento interagem? Nesse vídeo saiba mais sobre as relações entre consumo, poupança e produtividade da economia.


21 de maio de 2015

Enganados pelo PIB: Atividade econômica versus crescimento econômico

por Steven Horwitz

(traduzido por Flávio Ghetti)

Mesmo os economistas mais inteligentes podem cometer os erros mais simples. Dois livros recentes, Violence and Social Order de Douglas North, John Wallis e Barry Weingast e Why Nations Fall de Daron Acemoglu e James Robinson incorrem num equívoco sobre crescimento econômico. Ambos os livros falam das altas taxas crescimento na economia soviética em meados do século XX. Mesmo que os autores corretamente tenham notado que tais taxas não podiam ser sustentadas, continuam a assumir que as quantificações de agregados como o PIB, (as quais acreditam ser evidência de crescimento), realmente refletem melhorias nas vidas dos cidadãos soviéticos. Não está claro que tais agregados sejam bons indicadores do genuíno crescimento econômico.

20 de maio de 2015

Os Bancos Centrais e os Ciclos Econômicos

Nesse vídeo você saberá mais sobre a interação entre poupança, oferta de crédito e taxa juros. Verá também como os bancos centrais influenciam na formação das taxas de juros e, por consequência, nos ciclos econômicos.



19 de maio de 2015

Mais dinheiro não significa mais poupança

por Frank Shostak

(traduzido por Flávio Ghetti)

Poupança não tem nada a ver com dinheiro. Por exemplo, se um padeiro produz dez fôrmas de pão e consome uma fôrma, sua poupança é de nove fôrmas de pão. Em outras palavras, a “poupança” neste caso é a renda real (sua produção de pão) menos a quantidade de pão que o padeiro consumiu. A poupança do padeiro permite agora que ele obtenha outros bens e serviços.

Por exemplo, o padeiro pode agora trocar os pães poupados por um par de sapatos com um sapateiro. Note que a poupança do padeiro é seu meio de pagamento real – ele paga pelos sapatos com os pães poupados. Do mesmo modo, o sapateiro paga pelas nove fôrmas de pão com os sapatos que representam sua poupança real.

Clube de Leitura - A Vida na Sarjeta

A Vida na Sarjeta
O próximo livro a ser analisado no Clube de Leitura é A Vida na Sarjeta, uma das mais
impressionantes análises sobre o modo de vida das camadas mas pobres da sociedade inglesa, bem como sobre as consequências nefastas do assistencialismo próprio dos modelos de estado de bem-estar social.

Conforme a sinopse, a obra "é o relato pungente da vida da subclasse inglesa e das razões de as pessoas persistirem nessa vida, escrito por um psiquiatra britânico que cuida da clientela de baixa renda de um hospital de periferia e dos detentos de uma penitenciária de Londres. A percepção fundamental do Dr. Dalrymple é a de que a pobreza continuada não tem causas econômicas, mas encontra fundamento em um conjunto de fatores disfuncionais, continuamente reforçados por uma cultura de elite em busca de vítimas. O livro apresenta dezenas de relatos reveladores e verídicos que são, ao mesmo tempo, divertidos, assustadoramente horríveis e bem ilustrativos, escritos em uma prosa que transcende o jornalismo e alcança a qualidade de verdadeira literatura."

Aproveitem a leitura daquele que é considerado um dos maiores ensaístas da língua inglesa em atividade.

DATA: 25 de maio de 2015, segunda-feira, 19h30 às 21h00.

LOCAL: ASA NORTE, SQN 210, BLOCO A, salão de festas

13 de maio de 2015

Economia e Direito - A Questão da Propriedade Intelectual

Vídeo da palestra proferida por André Luiz Santa Cruz Ramos em 9 de março de 2015.



André é bacharel e mestre em direito pela UFPE, especialista em direito da economia e da empresa pela FGV-RJ, especialista em direito da concorrência pela FGV-SP, doutor em direito empresarial pela PUC-SP, professor de direito empresarial do centro universitário IESB e autor de livros na área do direito empresarial. Recentemente publicou o livro Os Fundamentos Contra o Antitruste.